XI


O teu vestido me olhava.
O teu vestido me olhava e ria.
A tua boca me dizia, em silêncio,
Tudo o que eu queria ouvir
- Sou tua!

Na tua cama eu rolava,
Da tua fonte, bebia.
O teu silêncio me contava, em verso,
O risco de te possuir.

E como fui então parar,
Na sombra do teu sofrimento?
Enquanto tua boca, calada, me olhava,
Tua boca me olhava e ria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário