L

Sonhar contigo
É a melhor parte
Do meu dia.
Teu silêncio morno
Tanto me fala
Que tudo que digo
Quando acordada
Cheira a você.

XLIX

Não tenho pés
Não tenho mãos
Não tenho nada
Que não seja peso
Que não seja seco

Não me cumprimentam
Se não para arrancar
De mim todos os pontos.
Sempre prontos
Para me atacar.

XLVIII - De cicatrizes e tatuagens

O meu corpo é meu
O meu corpo é arte
O meu corpo fala
Sobre a minha alma
Mas não me define.
O meu corpo é meu
E não me limita.

XLVII

a descoberta
da verdade
não gramatical
e a liberdade
de expirar
sem sufocar de tédio.

Inspiração - XLVI

você me teve
em todos os sentidos
mas cravou espinhos
em meu corpo
com suas mãos de flor

você usou
a minha energia
para florescer

e feito estrela morta
minha luz demorou de chegar

Queda Livre - XLV

O que sufoca mesmo
É a INTENSIDADE
Com que você acredita
Nas próprias

M
  E
   N
    T
     I
      R
       A
        S
   

XLIV

Cada corpo parece um pedaço
E cada pedaço, metade de mim.
Sujeito sem sexo,
Sem rima, sem nexo.

Um pobre ensaio
Da reflexa arte de manipular,
Câmara que se abre sem segredos,
Para a metade mais cálida
Do meu infinito.

Noites de tormentas reviradas
Num silêncio tão absoluto,
Que me confunde o pensamento.

Abertos os olhos, enxergam o nada
O fogo que consome a negra luz
Da solidão.

XLIII

Estando tão perto e tão longe
Imensa no teu desconforto
Acordo no mundo que inventamos

Teu corpo pulsa com o meu
Teu beijo me atira num mar de                   
excentricidade

Um segundo de tola certeza
E uma vida de radiante
irresponsabilidade

XLII - Letal

Metal frio contra a pele quente
Quero me rasgar por dentro

Acendo a chama da incerteza
Que arde e me queima por dentro

Implacável.
A implosão é linda
E inevitável.

XLI

Não é perda de tempo
Refletir sobre os teus olhos
Imensos
No meu quadro imaginário

Trocaria todos os dias
Pela chance de morrer te olhando
De viver olhando
Esses olhos de mar
Profundos e onipresentes.

Não é tão sem sentido
Desejar teu afeto ou afago
E sonhar com teu jeito
Intenso
No meu quarto imaginado

Não é forma nem caos
Teu sopro em meu ouvido
Teu beijo em meu umbigo
Teu frio em meu calor.

Trocaria todos os laços
Pela chance de te viver.