XXXV - Pra Você Dar o Nome

Às vezes eu penso em você,
Em suas mãos tão pálidas
Em sua boca cálida,
Penso em você dormindo
A boca entreaberta,
Os sonhos me sorrindo.
Lembro das nossas canções
Lembro dos nossos carinhos,
Penso na juventude, tão distante
Penso em nossos beijos delirantes!
Às vezes você é tão forte!
Me acusa, me abraça, me morde,
Às vezes, eu penso em você;
Lembro do amor inventado
Penso em encontros marcados
Às vezes, você é tão longe!
Seus passos de mim se escondem
No desenrolar dos séculos
No desempenho dos anos,
Penso em você, em seus fracos enganos
Penso em ouvir seu choro
Penso em chorar suas perdas
Às vezes, você me confunde
Penso em nosso passado,quieto, apagado
Talvez seu inferno diário,
Talvez meu destino, calvário.
Às vezes e tão sem querer,
Esqueço de não me esquecer.