XX

Entre os cacos da sobrevivência
A dor oculta espasmos de prazer,
Inconscientes, ardentes,
De insanidade cruel e prevista.

Os meus sonhos embaralham a realidade

E ainda sinto na boca o gosto da perda,
Sem sentido,

Os teus olhos amargam a minha leveza

E em qualquer lugar me vigiam,
Agarrando os reflexos desta loucura
Cuja aura bêbada me entontece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário