XVI - Sobre Tudo e Todas as Coisas

Já se foi a minha vontade, findou-se a inspiração;
Passo dias pensando um verso, camuflado em qualquer paixão.

Só de dor e teimosia, o dia amanhece sem fim;
Passo horas tecendo um verso, que parece esconder-se de mim.

Os olhos mentem o medo, tal malévolo algoz;
E a serpente, ameaça sonsa, me rouba o verso e a voz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário